Os grandes cinemas projetados pelo arquiteto Rino Levi


Cine Ufa-Palácio


Endereço: Av. São João, 407 e 419 - Centro
Primeiro de uma série de cinemas projetados por Levi. A lotação total da sala, incluindo o balcão, era de 3119 lugares. Por aí se pode ter uma idéia das dificuldades de solução dos problemas de excesso de público, visibilidade e acústica. Projetado em 1936, o Ufa-Palácio tinha sua forma resultante da aplicação de modernos cálculos de acústica em projetos de salas de espetáculos. Além do rigoroso cálculo do volume, em função do tempo de reverberação desejado, a forma parabolóide das paredes, piso e forro, foram definidos para permitir a melhor distribuição das ondas sonoras. Na sala de exibições, as linhas de iluminação indiretas encaminhavam o olhar para a tela, não restando nenhuma outra atração nas superfícies internas que pudessem competir com o espetáculo. O cuidado com que, todos esses itens foram examinados, resultou no perfeito funcionamento, desta que foi uma grande casa de espetáculos.





Para maiores informações sobre este cinema (clique aqui).
Cine Ipiranga



Endereço: Av. Ipiranga, 786 - Centro
O cinema e o hotel, que funcionavam no mesmo edifício, foram projetados, em 1941, por Levi. O hotel tinha cerca de 200 apartamentos. Dada a grande lotação proposta para o cinema (1936 lugares), a solução encontrada foi localizá-lo em nível superior à rua, ficando no andar térreo, apenas as entradas e as salas de espera. É obvio que essa condição levou a um minucioso estudo da circulação do público e, consequentemente, a um engenhoso esquema de escadarias que atendesse de maneira plenamente satisfatória a uma grande massa de expectadores. Um detalhe curioso, resultante desses estudos, refere-se à iluminação dos acessos: o acesso à sala era feito através de escadas e corredores de luminosidade decrescente. Desta forma, quando o público atingisse a sala, já estava adaptado à luminosidade da projeção. Durante a saída, o processo era inverso. Mais uma vez, os estudos de acústica da sala foram realizados pelo próprio arquiteto, usando em seus cálculos, apenas o volume da sala e alguns materiais absorventes. Devido a problemas arquitetônicos de espaço, este cinema tinha uma característica interessante, a posição da tela era invertida, ficando de costas para a rua.




Para maiores informações sobre este cinema (clique aqui).

Cine Universo


Endereço : Av. Celso Garcia, 378
O cine Universo foi projetado em 1936 e inaugurado, em 1939, pela Empresa Cinematográfica Serrador Ltda. Era localizado no terreno que abrigou o antigo cine Polytheama do Brás e, posteriormente, o Circo Piolim. O cine Universo preservava a função de fornecer diversão para uma enorme massa de espectadores que habitava a região, por isso sua capacidade era de 4324 lugares. No centro do teto da sala de projeções havia uma abertura móvel que permitia a rápida renovação de ar e a eventual visão parcial do céu estrelado durante o espetáculo.


Para maiores informações sobre este cinema (clique aqui).
Arquiteto Rino Levi


Rino Levi nasceu em 1901, de pais italianos, em São Paulo, onde freqüentou as escolas elementar e média. Fazendo seus estudos superiores na Itália, formou-se, em 1926, na Faculdade de Arquitetura de Roma. Ensinou na Faculdade de Arquitetura da Universidade de São Paulo e na Universidade Central da Venezuela. Foi presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil (Departamento de São Paulo) e do Instituto Brasileiro de Acústica. Representou o Brasil em diversos países, em numerosos congressos, conferências e exposições de arquitetura. Venceu numerosos concursos. Faleceu em 1965.
“Para Rino Levi, a obra arquitetônica era a resultante de um conjunto de fatores que o levavam a considerar todos os detalhes necessários para que o projeto não fosse apenas uma solução estética, mas uma interação da beleza e da forma aliada à função; no jogo de volumes, a forma e a cor tinham objetivos não só estéticos, mas também sociais e psicológicos”.
Roberto Burle-Marx
Fontes de pesquisa: 
Livros “Rino Levi” – Edizione Di Comunità – Milano Itália – 1974 e "Rino Levi: arquitetura e cidade", de Renato Anelli - Romano Guerra Editora - 2001
Texto atualizado em 14/11/2008
Licença Creative Commons
As fotos e informações deste site estão protegidas e licenciadas pela Creative Commons.
ACESSE O BANCO DE DADOS


BIBLIOGRAFIA DO BLOG

PRINCIPAIS FONTES DE PESQUISA

1. Arquivos institucionais e privados

Bibliotecas da Cinemateca Brasileira, FAAP - Fundação Armando Alvares Penteado e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Mackenzie.

2. Principais publicações

Acervo digital dos jornais Correio de São Paulo, Correio Paulistano, O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo.

Acervo digital dos periódicos A Cigarra, Cine-Reporter e Cinearte.

Site Arquivo Histórico de São Paulo - Inventário dos Espaços de Sociabilidade Cinematográfica na Cidade de São Paulo: 1895-1929, de José Inácio de Melo Souza.

Periódico Acrópole (1938 a 1971)

Livro Salões, Circos e Cinemas de São Paulo, de Vicente de Paula Araújo - Ed. Perspectiva - 1981

Livro Salas de Cinema em São Paulo, de Inimá Simões - PW/Secretaria Municipal de Cultura/Secretaria de Estado da Cultura - 1990

FONTES DE IMAGEM

Periódico Acrópole - Fotógrafos: José Moscardi, Leon Liberman, P. C. Scheier e Zanella.

Acervos particulares de Luiz Carlos Pereira da Silva, Caio Quintino e Ivani Cury.

PRINCIPAIS COLABORADORES

Luiz Carlos Pereira da Silva e João Luiz Vieira.

OUTRAS FONTES: INDICADAS NAS POSTAGENS.