Cinema de rua é preservado em São Carlos

Ao contrário da capital, que fechou um dos únicos cinemas de rua, o cine Belas Artes, São Carlos mantém seu cinema de rua em plena atividade através da cinematográfica Casella & Casella, que exibe filmes do circuito nacional de cinema e, também, serve de cenário para a realização de eventos voltados para a cultura são-carlense.



A existência de um cinema de rua em São Carlos fortalece o compromisso da Prefeitura com investimentos em cultura. “Além do fortalecimento do audiovisual da cidade, o cinema de rua fortalece o imaginário e resgata a nostalgia da população de São Carlos. As gerações mais antigas têm boas lembranças de quando iam ao cinema, e este ritual de ir ao cinema está sendo transmitido às gerações mais novas”, diz Telma Olivieri, coordenadora de Artes e Cultura de São Carlos. Graças à parceria com a Prefeitura, é possível realizar as sessões com preços mais acessíveis ao público.



Pedro Casella, dono da cinematográfica Casella & Casella, lembra a importância das prefeituras e do poder público na manutenção e conservação de patrimônios culturais como o cinema de rua. “Se a Prefeitura de São Carlos não tivesse comprado o prédio, o cinema seria apenas um quadro na parede”, lembra.



Telma Olivieri também ressalta a importância de iniciativas tomadas pela Prefeitura para a preservação da cultura e que, esta característica, coloca São Carlos à frente de outras grandes cidades. “São Carlos está na contramão das grandes cidades brasileiras, não só por adquirir o prédio do cinema, mas também por existir um comprometimento da administração do cinema com o poder público. São Carlos talvez seja uma das únicas cidades a valorizar o cinema de rua, destaca. Ela também lembra que, o cinema de rua é mais democrático. “É a valorização do cinema democrático que, por estar localizado no centro, qualquer pessoa pode ter acesso, pois a região é a mais acessível da cidade e, pela freqüência das pessoas, acaba sendo revitalizada”.



A programação do cine São Carlos está disponível no site ou pelo telefone (16) 3307-6006.
Prêmio
O cine São Carlos foi contemplado com o Prêmio Adicional de Renda, promovido pela Ancine (Agencia Nacional de Cinema), que contempla os ganhadores que exibem grande quantidade de filmes nacionais, com um prêmio em dinheiro que deverá ser aplicado na revitalização da sala. Um dos critérios para a escolha dos ganhadores é o cinema possuir no máximo duas salas.



História
A história de São Carlos com o cinema vem de muito tempo. A primeira exibição de filmes aconteceu em 1897, com o cinematográfico Lumière e, em 1969, a cidade realizou o Festival de Cinema Brasileiro de São Carlos. Atualmente, o cine São Carlos comemora dois anos de reinauguração no mês de novembro. O cinema possui capacidade para 540 pessoas e o equipamento de som é o Dolby Digital, que garante um alto nível de qualidade para os frequentadores.

Texto publicado, em 18/01/2011, no site São Carlos Agora.
Licença Creative Commons
As fotos e informações deste site estão protegidas e licenciadas pela Creative Commons.
ACESSE O BANCO DE DADOS


BIBLIOGRAFIA DO BLOG

PRINCIPAIS FONTES DE PESQUISA

1. Arquivos institucionais e privados

Bibliotecas da Cinemateca Brasileira, FAAP - Fundação Armando Alvares Penteado e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Mackenzie.

2. Principais publicações

Acervo digital dos jornais Correio de São Paulo, Correio Paulistano, O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo.

Acervo digital dos periódicos A Cigarra, Cine-Reporter e Cinearte.

Site Arquivo Histórico de São Paulo - Inventário dos Espaços de Sociabilidade Cinematográfica na Cidade de São Paulo: 1895-1929, de José Inácio de Melo Souza.

Periódico Acrópole (1938 a 1971)

Livro Salões, Circos e Cinemas de São Paulo, de Vicente de Paula Araújo - Ed. Perspectiva - 1981

Livro Salas de Cinema em São Paulo, de Inimá Simões - PW/Secretaria Municipal de Cultura/Secretaria de Estado da Cultura - 1990

FONTES DE IMAGEM

Periódico Acrópole - Fotógrafos: José Moscardi, Leon Liberman, P. C. Scheier e Zanella.

Acervos particulares de Luiz Carlos Pereira da Silva, Caio Quintino e Ivani Cury.

PRINCIPAIS COLABORADORES

Luiz Carlos Pereira da Silva e João Luiz Vieira.

OUTRAS FONTES: INDICADAS NAS POSTAGENS.